skip to content
 

Defesa de dissertação do mestrando Danilo Villaça (IFAC)

Na última quarta-feira, 14 de agosto de 2019, ocorreu na sala 12 do Instituto de Filosofia, Arte e Cultura (IFAC), a defesa de dissertação do mestrando Danilo Villaça, do Programa de Pós-graduação em Filosofia, financiado pela CAPES, CNPQ e FAPEMIG. Em conversa com Danilo, ouvimos que ​a dissertação apresenta as críticas de Merleau-Ponty ao modelo de análise representacionista da modernidade sob dois aspectos; O primeiro (derivado da fenomenologia husserliana) diz respeito à explicação da percepção pelas teorias do conhecimento do período, cuja as abordagens estabelecem a representação ideal como intermediária da relação consciência-mundo; o segundo refere-se a apreciação estética, na qual as obras de arte são interpretadas pelo seu caráter figural, mimético e representacional. A proposta do trabalho foi desenvolver a última questão como consequência da primeira e assim indicar uma coesão entre as análises fenomenológicas/ontológicas do âmbito mais geral da filosofia do autor e suas reflexões sobre estética e arte. Em sua tese, o cinema surge como o objeto artístico que evidencia as duas problemáticas mencionadas. “Afinal, se observarmos o desenvolvimento da linguagem cinematográfica e as reflexões referentes ao estatuto representativo de tal arte, pode-se concluir que o filme, apesar de utilizar como “matéria-prima” a “impressão fotográfica do mundo”, não deve ser encarado unicamente sob o ponto de vista mimético-representativo.” conclui Danilo. O trabalho intitulado “​DE HUSSERL À PERCEPÇÃO CINEMATOGRÁFICA: crítica ao representacionismo em Merleau-Ponty” foi avaliado e aprovado pela banca examinadora composta pelo Prof. Dr.José Luiz Furtado (UFOP)- Presidente da banca, Prof.a Dr.a Virgínia Figueiredo (UFMG), Prof.a Dr.a Cinta Vieira da Silva (UFOP).

Twitter icon
Facebook icon
Google icon